Notícias

15 / maio

Gravidez psicológica – causas, sintomas e tratamentos

A menstruação atrasa, o corpo muda, os enjoos aparecem mas não há uma nova vida no ventre da mulher. A pseudociese, popularmente conhecida como gravidez psicológica, é o transtorno emocional que faz o corpo feminino assumir o comportamento gestacional sem que de fato exista um embrião se desenvolvendo no útero. As estimativas indicam que, a cada 22 mil gestações, uma delas não será real – número que já foi muito maior, em reflexo da educação e da limitada perspectiva de vida oferecida às mulheres no passado.

CAUSAS

A principal causa da gravidez psicológica é o desejo intenso de se tornar mãe, especialmente em mulheres adolescentes, com problemas reprodutivos prévios ou que passaram por abortos espontâneos anteriormente. A comunidade médica ressalta, entretanto, que apenas o desejo pela gravidez não é suficiente para induzir o organismo a se comportar como numa gestação – na maioria dos casos, o desejo vem acompanhado de predisposições psiquiátricas a quadros de delírio e negação da realidade. A combinação de tal tendência com o sentimento de frustração (frequente em mulheres que passam por dificuldades para engravidar ou que sofrem pressão familiar para conceber um filho, por exemplo) pode criar um cenário emocional capaz de desencadear uma gravidez fictícia.

Nos séculos passados, quando as mulheres eram desde crianças criadas para serem mães, a gravidez psicológica era um fenômeno mais frequente, pois o descumprimento do papel social da maternidade era motivo de grande culpa. Atualmente, com a expansão das possibilidades para as mulheres, a gravidez saiu do centro dos objetivos femininos – reduzindo, por consequência, os casos de pseudociese.

SINTOMAS

Os sintomas da gravidez psicológica são idênticos ao de uma gravidez padrão, incluindo crescimento da barriga e das mamas, atraso da menstruação, enjoos, inchaço do corpo, sonolência, aumento da vontade de urinar, desejos alimentares, e muitas mulheres relatam inclusive a sensação de sentir o feto mexendo no ventre.

A pseudociese pode levar até mesmo à produção de leite, através da influência que o estado emocional da mulher exerce sobre seus neurotransmissores. O estresse pode levar a alterações na produção do hormônio prolactina – que, além de estimular a produção de leite, também pode causar distensão do intestino, levando ao inchaço abdominal. Entretanto, a condição emocional não é capaz de interferir nos níveis do hormônio beta-HCG: ou seja, é impossível que um teste de gravidez assinale positivo para uma gravidez psicológica.

TRATAMENTO

Após o diagnóstico da pseudociese, é necessário que uma abordagem multidisciplinar entre em ação. Medicamentos podem ser administrados para impedir a produção de leite e regularizar os níveis hormonais e a menstruação, mas nem sempre são necessários. A parte principal do tratamento consiste no acompanhamento psicológico e psiquiátrico de qualidade para a mulher, para ampará-la no processo de aceitação da não existência da gravidez e, principalmente, para resolver as questões conflituosas que constituem o cerne de seu desequilíbrio emocional.

O organismo feminino pode levar meses para voltar ao funcionamento padrão, e é de extrema importância que a mulher receba apoio e acolhimento dos familiares e amigos durante o processo de recuperação.

Deixe seu comentário