Notícias

29 / jul

Como melhorar a saúde dos ossos

Os ossos são a principal forma de sustentação do corpo humano. A rigidez da estrutura óssea é garantida por um processo natural do organismo, no qual o tecido ósseo é absorvido e substituído constantemente. Entretanto, existem situações onde a produção da nova massa óssea não acompanha a remoção da camada óssea antiga, deixando os ossos ocos e frágeis. Para tais casos, dá-se o nome de osteoporose: doença metabólica e sistêmica que acomete cerca de 2 milhões de pessoas por ano no Brasil – sendo mais frequente entre a população feminina, por conta da acentuada perda óssea que ocorre na menopausa. Trata-se de uma doença típica do envelhecimento, pois a densidade óssea começa a diminuir a partir dos 35 anos de idade e aqueles que não contam com um bom estoque de densidade óssea começam a perceber os ossos mais frágeis com o passar dos anos. Homens com mais de 50 anos e mulheres no período pós-menopausa são os principais afetados por esta doença tão associada a fraturas e à fragilização da locomoção.

Para envelhecer de maneira saudável, autônoma e ativa, é essencial pensar a respeito da saúde óssea muito antes de chegar na terceira idade. Fique por dentro de alguns bons hábitos para incorporar desde já e garantir disposição para todas as fases da vida:

CÁLCIO NA MEDIDA CERTA

O cálcio é o principal elemento na composição da matéria óssea, responsável por atribuir estabilidade e força ao esqueleto humano. Níveis insuficientes de cálcio são a principal causa de osteoporose, e a melhor forma de prevenir-se é investindo numa alimentação balanceada e que conte com doses satisfatórias de cálcio todos os dias. A recomendação médica é de 500 a 800mg diários de cálcio para crianças, 1300mg diários para adolescentes e 1000mg diários para adultos. Couve, espinafre, brócolis, grão-de-bico, feijão branco e gergelim são boas fontes a serem exploradas.

JUNTO AO CÁLCIO, VITAMINA D

De nada adianta caprichar na ingestão de cálcio se a vitamina D não estiver em dia. Isso porque a vitamina D é responsável por absorver o cálcio consumido na alimentação, permitindo que ele entre para a corrente sanguínea e passe, de fato, a beneficiar o organismo. Há uma grande e gratuita fonte de vitamina D disponível para todos: o sol! Banhos de sol nos períodos do início da manhã ou do final da tarde são ótimos para estimular a produção de vitamina D – busque incorporá-los na sua rotina diária.

MEXA-SE!

Exercícios físicos são essenciais para a manutenção da saúde em diversos aspectos, inclusive para a vitalidade dos ossos. A prática regular de exercícios fortalece os ossos e músculos, incentivando a reposição da massa óssea e promovendo uma estrutura corporal sólida e firme para o envelhecimento. Para driblar a osteoporose, as atividades mais recomendadas são as corridas, caminhadas, danças, subir degraus ou praticar musculação. A consciência corporal também ajuda a evitar quedas e a ter um melhor relacionamento com o corpo ao passar dos anos. Yoga, pilates e alongamentos fortalecem a musculatura e te deixam mais consciente sobre seu corpo físico. Bastam 30 minutos diários para sentir os reflexos na saúde a curto e longo prazo.

DURMA BEM

Especialmente após os 40 anos de idade, a qualidade do sono está diretamente relacionada com a saúde óssea. É durante o sono que o organismo libera hormônios que auxiliam na captação do cálcio para os ossos – por isso, leve a sério sua rotina de sono! Reserve de 6 a 8 horas diárias para descanso, em ambiente calmo, escuro e silencioso, para que o corpo possa de fato recarregar as energias.

ATENÇÃO AOS MEDICAMENTOS

Determinadas medicações devem ser evitadas por pessoas predispostas a quadros de osteoporose. Alguns anticonvulsivantes e glicocorticóides podem contribuir para a perda da massa óssea. Se você faz uso de algum deles, o ideal é realizar um monitoramento de sua saúde óssea e conversar com seu médico a respeito de outras opções de tratamento.

ADEUS, CIGARRO!

O cigarro é um fator comportamental que acrescenta fragilidade a todos os aspectos da saúde humana – e com os ossos não seria diferente. O tabagismo prejudica a função das células responsáveis pela produção da matriz óssea, contribuindo para que os ossos fiquem pouco densos e quebradiços. Além disso, fumantes têm maior dificuldade na calcificação de fraturas.

Deixe seu comentário