Notícias

19 / nov

Câncer de próstata – causas, sintomas e tratamentos

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre a população masculina brasileira, ficando atrás somente do câncer de pele não-melanoma. Estes dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) enquadram o câncer de próstata como o quarto tipo de câncer mais incidente considerando ambos os sexos, com estimativa de mais de 65 mil novos diagnósticos para o ano de 2018.

A grande proporção assumida pelo câncer de próstata é a principal motivação do movimento Novembro Azul para conscientizar a população (especialmente masculina) sobre a importância do cuidado com a saúde do homem ao longo de todos os estágios da vida. Investir na prevenção hoje é a certeza de uma vida saudável e disposta amanhã!

Conheça mais sobre o câncer de próstata, suas causas, sintomas, tratamentos e medidas preventivas:

O QUE É

A próstata é uma pequena glândula presente apenas no corpo dos homens, localizada na parte baixa do abdômen (próxima à bexiga, ao reto e à uretra). Sua função no organismo é produzir parte do sêmen que abriga os espermatozóides e é expelido pelos homens durante o ato sexual. Sendo assim, a próstata é um importante órgão do sistema reprodutor masculino.

Quando alguma alteração no DNA celular desencadeia a multiplicação desenfreada das células da próstata, surge um tumor. Estas células com características anômalas de reprodução têm a capacidade de invadir tecidos e se disseminar por outros órgãos, aumentando a gravidade do quadro.

CAUSAS

Assim como nos demais tipos de câncer, é difícil definir o motivo exato que leva as células da próstata a adotarem um padrão anormal de reprodução, dando origem ao tumor. A medicina conseguiu rastrear algumas condições biológicas e comportamentais capazes de facilitar o desenvolvimento do quadro – os chamados fatores de risco. São eles:

Idade: o câncer de próstata é majoritariamente diagnosticado entre homens acima dos 50 anos de idade – idade em que os exames preventivos anuais tornam-se obrigatórios;
Histórico familiar: homens com parentes de primeiro grau (especialmente pais ou irmãos) que já apresentaram a doença têm o dobro da probabilidade regular de desenvolvimento do câncer de próstata;
Sedentarismo e obesidade: homens que não praticam exercícios físicos com regularidade estão mais propensos ao quadro;
Alimentação: dietas ricas em gorduras e em carne vermelha, com deficiência de vegetais, criam condições favoráveis ao câncer de próstata;
Taxas de estrogênio: homens com uma quantidade do hormônio maior do que o regular são mais propensos ao quadro;
Nível de poluição ambiental: atmosfera muito carregada, assim como contato frequente com derivados de ferro, chumbo e cromo também podem facilitar a doença.

SINTOMAS

Nos estágios iniciais, o câncer de próstata não manifesta sintomas alarmantes – o que reforça a importância da realização dos exames preventivos, para que qualquer alteração seja diagnosticada precocemente.

Alguns homens não apresentam qualquer anormalidade ao toque, outros percebem o endurecimento da região da próstata. Dificuldade para urinar, interrupção no fluxo da urina e até obstrução completa da uretra são sinais que podem aparecer de acordo com a evolução do tumor, acompanhados do aumento da vontade de urinar e da sensação de bexiga cheia mesmo após urinar. Dificuldade para manter ereção, dor ao ejacular e, em alguns casos, pode haver presença de sangue no sêmen.

Diante de qualquer sintoma, busque avaliação médica.

TRATAMENTOS

O tratamento para o câncer de próstata é extremamente eficaz quando iniciado no tempo certo: a chance de cura é de até 90% para quadros com diagnóstico precoce. A melhor opção de tratamento varia de acordo com o estágio de evolução do quadro e a condição de saúde de cada paciente. Trata-se de um tratamento multidisciplinar que busca interromper a evolução do câncer oferecendo o máximo de qualidade de vida para o paciente.

As opções mais utilizadas são a remoção cirúrgica do tumor (eficaz nos casos em que o tumor está localizado), radioterapia ou quimioterapia (nos casos onde o tumor entrou em metástase ou como complemento da intervenção cirúrgica), e a terapia hormonal (que realiza o controle dos hormônios que estimulam a evolução da doença).

PREVENÇÃO

A principal medida preventiva é a realização do exame de toque retal todos os anos, principalmente por homens acima dos 50 anos. Fazer acompanhamento de rotina com o urologista é a medida mais segura para viver com saúde e não ser pego de surpresa. Buscar auxílio médico apenas depois do aparecimento dos sintomas pode ser arriscado.

Ser fisicamente ativo, não fumar, beber moderadamente e investir numa dieta rica e equilibrada também são hábitos extremamente indicados para evitar não apenas o câncer de próstata, como uma série de outras doenças crônicas.

Deixe seu comentário