Notícias

21 / mar

Câncer colorretal: causas, sintomas e tratamentos

É chamado de câncer colorretal o desenvolvimento de tumores de caráter maligno na região do intestino grosso, que é subdividido em cólon e reto. Em grande parte dos casos, este tipo de câncer inicia em forma de pequenos pólipos (crescimentos celulares anormais nas paredes do intestino) que levam anos até se transformarem em tumores malignos, facilitando o diagnóstico e tratamento precoces. Entretanto, o câncer colorretal ainda é o terceiro tipo de câncer mais frequente entre os homens e o segundo mais comum entre as mulheres, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

CAUSAS

Não se tem conclusões sobre a causa exata capaz de desencadear o crescimento de um tumor maligno nas paredes do intestino grosso. A comunidade médica investigou uma série de fatores (genéticos e comportamentais) que parecem estar relacionados ao desenvolvimento do quadro – são chamados de fatores de risco. Para o câncer colorretal, são considerados fatores de risco:

Mutações genéticas herdadas: pessoas com histórico deste câncer na família, especialmente entre parentes de primeiro grau, são mais propensas ao quadro. Algumas síndromes hereditárias também estão associadas à doença, como a síndrome de Lynch e a polipose adenomatosa familiar;
Histórico pessoal de doença inflamatória intestinal: quadros prévios, como colite ulcerativa ou doença de Crohn, podem facilitar o desenvolvimento. Pólipos intestinais também devem despertar a atenção;
Idade avançada: pessoas acima dos 50 anos estão naturalmente mais propensas ao quadro, em ambos os sexos;
Obesidade: estar acima do peso adequado para a altura facilita o desenvolvimento do câncer, especialmente entre os homens. Sedentarismo também se enquadra como fator de risco;
Tabagismo e alcoolismo são fatores de risco associados a diversos tipos de câncer, e simbolizam um risco ainda maior se acompanhados de outro(s) fator(es) de risco.

SINTOMAS

Os primeiros sinais manifestados pela doença costumam estar relacionados à mudança no comportamento intestinal, seja através de diarreia ou constipação frequentes e não associadas a fatores alimentares. Tais sintomas, especialmente se acompanhados de fraqueza, cólica abdominal, excesso de gases, anemia ou emagrecimento acentuado, devem ser investigados por um profissional da saúde.

Em estágio mais avançado, o câncer colorretal leva à sensação de evacuação incompleta e sangramento pelo reto, geralmente identificado pela presença considerável de sangue nas fezes (que tendem a ficar com aspecto fino).

É importante ressaltar que nenhum dos sintomas descritos é indicativo obrigatório de câncer colorretal, assim como é possível que o diagnóstico aconteça sem a presença dos sintomas acima. Entretanto, qualquer um destes sintomas indicam uma anormalidade no funcionamento do organismo e devem ser avaliados.

TRATAMENTOS

As terapias locais, como remoção cirúrgica do tumor e a radioterapia, são indicadas para casos de câncer colorretal em estágio inicial. Já os quadros avançados exigem terapias sistêmicas, como a quimioterapia e a imunoterapia, que conseguem atingir células cancerígenas de quaisquer áreas do corpo.

Após o diagnóstico, é importante conversar com o médico sobre todos os tratamentos disponíveis e avaliar o quadro de saúde prévio do paciente, para que a escolha seja feita da forma mais responsável e adequada ao seu perfil.

PREVENÇÃO

A principal forma de se prevenir contra o câncer colorretal é através dos exames de rastreamento, que possibilitam o diagnóstico precoce. A colonoscopia é capaz de identificar pólipos em estágios iniciais, muito antes de adquirirem caráter maligno e causarem danos efetivos à saúde. Recomenda-se a realização anual dos exames preventivos após os 45 anos de idade – com frequência semestral para pessoas com histórico familiar da doença.

Outra medida preventiva importante consiste no controle dos fatores de risco. Manter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada, pouco consumo de carne vermelha ou processada, prática regular de exercícios físicos, sem fumar e com consumo moderado de bebidas alcoólicas é uma excelente maneira de se prevenir contra o câncer colorretal e uma série de outras patologias.

Deixe seu comentário